Notícias | 16 de janeiro de 2004 | Fonte: Jornal do Commercio

Corretor critica padronização

Empossado esta semana na presidência do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro, Germano Datz assumiu o cargo criticando o fato de as seguradoras trabalharem exclusivamente voltadas para a massificação de produtos, fechando suas portas para coberturas diferenciadas, desenvolvidas pelo corretor com base nas necessidades de seus clientes. “Precisamos de mais diálogo, a massificação exacerbada prejudica consumidores e corretores de seguros” – assinalou.

Segundo ele, há uma carência de técnicos experientes nas seguradoras, o que impede a discussão em torno da aceitação de riscos que fogem da estratégia da massificação, que impõe uma padronização inflexível. Na avaliação de Germano Datz, as empresas de seguros investiram tanto na informática que acabaram deixando de lado a área de recursos humanos.

O presidente do Clube dos Corretores disse ainda que o seguro não é um produto comum, carecendo da análise técnica para demandas distintas do cliente. “As seguradoras podem até não aceitar determinado risco. Mas, não devem limitar a conceituação daquilo que o consumidor efetivamente precisa”, criticou Germano Datz.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora sua conta e faça parte.

FAÇA PARTE AGORA FAZER LOGIN