Vida em Foco | 4 de dezembro de 2023

Ana Hickmann, Naiara Azevedo, e o Seguro de Vida! 

O assunto seguro de vida tomou conta dos noticiários nos últimos dias, como um dos elementos, dos conturbados relacionamentos da modelo e apresentadora Ana Hickmann e da cantora Naiara Azevedo. 

Resolvi escrever sobre o assunto uma vez que o seguro de vida é apontado, em ambos os casos, como um certo vilão, com a vinculação da informação de que os cônjuges haviam contratado apólices de seguros, em nome das duas, os colocando como beneficiários. 

O primeiro ponto a se esclarecer é que, não existe a possibilidade de se contratar uma apólice de seguro de vida em nome de terceiros sem o conhecimento e autorização do mesmo, até porque a proposta de seguro tem que ser assinada pelo segurado, e, em se tratando de capitais segurados elevados, o que deve ser os casos, além do preenchimento da declaração pessoal de saúde, é possível que as seguradoras tenham exigido exames médicos para a avaliação é aceitação das propostas. 

A única hipótese  dos cônjuges, respectivos companheiros, terem contratado alguma apólice de seguros, com as mesmas sendo as seguradas, é se os mesmos forem sócios, em comum, de alguma empresa com suas esposas, e contratarem uma apólice de seguro empresarial, de pequena e média empresa, e assim, elas como sócias das empresas, poderiam ser seguradas, sem a necessidade de uma proposta individual e sem a necessidade de uma avaliação médica individual.

Nesse tipo de apólice de seguro o capital da seguradora seria limitado a um baixo valor, incoerente com a necessidade de cobertura de ambas.

Outro detalhe extremamente importante é que em um eventual sinistro, ocorrência de morte ou uma invalidez por acidente, de um segurado, em qualquer apólice de seguro de vida, caso seja comprovado a participação, culpa do beneficiário no evento, o seguro de vida não é indenizado, pois configura-se fraude, crime. 

E para encerrarmos o assunto, do ponto negativo da citação, o segurado pode nomear os seus beneficiários e pode alterá-los à qualquer momento, em suas apólices de seguros de vida. 

Mas vamos avaliar o lado positivo dos casos, tanto Ana Hickmann quanto Naiara Azevedo precisam realmente de um Seguro de Vida, assim como todas as pessoas economicamente ativas. 

Ambas tem contratos a serem cumpridos, expectativas de retorno financeiro futuro, com o desempenho de suas atividades profissionais, mas também possuem a mesma particularidade, para que essas expectativas financeiras futuras se concretizem, precisam estar presentes, fisicamente, e em boas condições de saúde, no desempenho de suas atividades profissionais. 

Qualquer incapacidade, temporária ou definitiva de trabalho representa, para ambas, um enorme prejuízo financeiro. 

Além disso, constituíram, ao longo de suas atividades profissionais, patrimônio, e acredito eu de valor significativo, possuem dependentes financeiros, portanto precisam utilizar o seguro de vida como ferramenta de sucessão patrimonial e de proteção financeira, papéis que o seguro de vida cumpre com segurança e inteligência. 

Portanto, fica claro que a nossa sociedade, inclusive a mídia, não especializada, precisa conhecer, e muito,  sobre a ferramenta Seguro de Vida, saber sobre suas funcionalidades e também sobre sua segurança e regras, evitando assim que o mesmo seja apresentado como uma ferramenta que possa ser utilizada por pessoas com más intenções, e ao contrário, enaltecer todos os benefícios e a importância do Seguro de Vida na vida das pessoas, famílias, empresas e sociedade.

Portanto Ana Hickmann e Naiara Azevedo, nós, Corretores de Seguros e os profissionais do nosso mercado, estamos à disposição para atendê-las, de forma correta, consultiva,  com o objetivo genuíno de levar proteção, segurança e planejamento financeiro à vocês! 

Rogério Araujo

O objetivo da coluna é disseminar a cultura do Seguro de Vida e Previdência Privada Complementar junto à população brasileira e aos profissionais do mercado de seguros. Através de uma linguagem simples e didática pretende quebrar mitos e preconceitos em abordarmos temas tão importantes como gerenciamento de riscos pessoais, o risco de viver muito, sem recursos financeiros, o risco de vivermos pouco, uma morte prematura, e todos os demais riscos pessoais que possam comprometer um correto planejamento financeiro pessoal, familiar ou empresarial. Rogério Araújo é corretor de seguros, desde 1998, brasileiro, casado e pai de três filhos de sangue, Thiago, Gustavo e Leonardo, cujas as iniciais deram origem ao nome TGL Consultoria, empresa criada em setembro de 2004, especializada em soluções em Planejamento e Proteção Financeira, utilizando-se de ferramentas como Seguros, Previdência, Planejamento Previdenciário, Contábil e Tributário, junto aos seus mais de 30.000 clientes ativos. Além dos 3 filhos, Rogério Araújo tem os filhos de coração, são mais de 250 crianças e adolescentes do Projeto Social IDAP, criado e administrado há mais de 13 anos, e que atende a região de Ribeirão das Neves, cidade na região metropolitana de Belo Horizonte, inclusive na própria TGL trabalham alguns jovens oriundos do projeto, mas esse é um assunto que certamente será abordado em alguns artigos, o Seguro como ferramenta de transformação social.

Um comentário

  1. CELIO NUNES SILVEIRA

    6 de dezembro de 2023 às 12:00

    Você precisa estar logado para ler o comentário.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora sua conta e faça parte.

FAÇA PARTE AGORA FAZER LOGIN