Seguro em Latim | 12 de janeiro de 2022 | Fonte: Pedro London

O Agro é Pop o Agro é Tech!

Imagina há alguns anos atrás você chegar para um agricultor e falar que a tecnologia vai mudar a vida dele? Sabe qual seria a primeira pergunta: Quantas cabeças de gado vai me custar?

Hoje falar de agricultura sem tecnologia é algo impossível. Lembro que uma vez estava conversando com um amigo meu (devia ser em 2011 ou 2012) e ele me comentou que um amigo foi para os Estados Unidos porque tinha criado uma tecnologia que controlava o rebanho via drone.  Fiquei espantado e imaginando que uma tecnologia assim dificilmente seria aceita implementada, mas estava muito enganado (até porque fui pesquisar depois e vi que esse tipo de tecnologia estava em alta já). 

Essa semana quando estava lendo as reportagens do mercado securitário, me deparei com a seguinte matéria: Contratação de seguros ganha impulso com novas tecnologias – CQCS – Fatalmente que já pensei, lá vem uma seguradora criando um novo portal do corretor (espero que dessa vez tenha algo diferente). Felizmente fui surpreendido pela notícia!

De acordo com CEPEA(USP)/CNA o PIB do Brasil totalizou R$2TRILHÕES, ou seja uma participação de 24,31% ¹ do PIB total do Brasil. Acredito que esse mercado deva precisar de bons seguros, não? Agora imagina o valor dos prêmios? – Deixo essa tarefa para vocês pesquisarem. 

Linkando o Agro com os seguros, as oportunidade são inúmeras, por exemplo:

DANOS DIRETO, RECEITA, CULTURAS, TERRENO, LAVOURA, PLANTAÇÃO, PRODUTIVIDADE, MAQUINÁRIO, FUNCIONARIOS, GARANTIA e muito mais. Claro que não é um produto fácil de ser ofertado e é difícil encontrar o cliente, afinal tem que gastar sola de sapato e ter muita inteligência e estudo. 

A Grande dúvida sempre é como começar nesse mercado, vou dar algumas dicas: 

1. Aposte na boa recomendação, veja com amigos e familiares se eles conhecem alguém que trabalhe com Agro e posso te colocar de frente. 

2. Crie uma pagina de captação de leads no google:, existem varias gratuitas, mas gosto muito desse artigo: https://herospark.com/blog/modelos-de-pagina-de-captura/  – Nessa pagina coloque imagens bonitas do Agro, mas entrega as soluções.  ( Nela você vai conseguir entender a real a demanda dos clientes e saber se vale apostar no mercado. 

3. Estude, estude e estude, o seguro agrícola não é fácil de ser vendido e muito menos de ser aceito pelas seguradoras. 

4. Crie conexões nesse mercado, procure corretores e seguradoras que atuam nisso, pergunte sem medo, peça para acompanhar uma vista e uma inspeção. 

Mas voltando a matéria o que achei mais interessante:  “A missão, tanto da seguradora quanto das corretoras, é tentar entender ao máximo as necessidades dos produtores e os ciclos dos negócios agropecuários. “A minha dica, principalmente para os corretores, é trabalhar na identificação do potencial da base de clientes que o corretor já tem, avaliando como poderia ampliar o atendimento ao produtor”, recomenda Damasceno.”

– Olha que interessante o que ele fala, primeiramente o corretor deverá olhar para sua própria base, sei que ele está falando diretamente com corretores que já atuam no agro, mas vamos voltar a primeira dica, será que você corretor não tem cliente do Agro ou afins? 

– “Mas isso não é pra mim, não tenho nenhum fazendeiro na minha carteira!!!” A visão que temos do Agro ainda é antiga, da figura emblemática do rei do gado. A Cadeia que movimenta o mercado é gigantesca, são fornecedores de diversos tipos: Desde área rural, passando por maquinário e transporte até tecnologia de ponta como os drones que mencionei, tenho a certeza fuçando um pouco você acha. 

A boa notícia é cada vez mais o seguro Agro ficar mais fácil de entender, cotar e administrar. 

As seguradoras estão cada vez mais trazendo subsídios e materiais, eu gosto muito da comunicação da Newe Seguros, eles abordam o tema de forma prática e rápida. 

Além das seguradoras, algumas Startups estão sendo criadas para facilitar e melhorar esse processo, vou deixar a lista aqui:

1. PICSEL – Analise, melhoria de processos , precificação e democratização do seguro agrícola. 

2. INNTECH – Focado em otimização para soja

3. MODELO – Agrícola paramétrico: diversas colheitas

Ahh… Inclusive quase todas estavam presente no CQCS Insurtech, mais um motivo para você avaliar sua participação ano que vem. 

Espero que vocês tenham gostado, se sim, curta compartilhe vamos fazer esse conteúdo chegar a cada vez mais corretores. 

Fonte:

1. https://www.cnabrasil.org.br/boletins/pib-do-agronegocio-alcanca-participacao-de-26-6-no-pib-brasileiro-em-2020

Pedro London

Brasileiro, Curitibano por nascença e carioca por escolha, casado e pai do Miguel. Acredita que a educação informal tem o poder de mudar o mundo! CEO/Founder da Tutum-Escola de Seguros. Profissional com mais de 15 anos no mercado, iniciou sua trajetória como estagiário na Master Comunicação, sólida experiência pelo grupo Boticário atuando na categoria de Marcas e produtos e  Trade marketing. Fez o restante da sua carreira no mercado securitário aonde atuou como Lifeplanner®️️ na Prudential do Brasil e se tornou gestor comercial no Rio de Janeiro durante 5 anos. Hoje Empreende em Educação na área de seguros e criou sua própria Start-Up – Tutum - uma comunidade voltada para os amantes de seguro. Anjo investidor da Academia Médica e da Nammou.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora sua conta e faça parte.

FAÇA PARTE AGORA FAZER LOGIN